Terras do Bouro


Outras informações...

Especialidades Gastronómicas

 

Cozido à Terras de Bouro

Prato tradicional de Terras de Bouro, o Cozido de Couves com Feijão que, como o próprio nome indica, é composto por feijão (amarela) e couves “galegas” dos quinteiros das terras altas e expostas ao frio da região de Bouro; as carnes, só de porco, “bichorro” medrado das lavaduras gordas.

Não havendo qualquer tipo de refogado na sua confeção, as couves, em abundância, são cozidas juntamente com as diversas carnes e fumeiro, cuja gordura é o tempero necessário para lhe dar paladar. O feijão amarelo é cozido à parte, juntando-se tudo, posteriormente, na mesma travessa que vai ser posta na mesa. Os temperos são feitos com azeite, vinagre e alho.

Acompanhamento pelos verdes tintos da região, de marca ou de lavrador.

 

Aletria

Deita-se 1 kg de aletria a cozer em água a ferver com 1 colher de sopa de azeite.

Quando estiver meia cozida, retira-se, escorre-se numa peneira e vai a acabar de cozer em leite com açúcar. Logo que cozida, retira-se e põe-se de novo a escorrer.

Em panela à parte, põe-se a ferver 1/2 litro de leite com a casca de limão, 12 flores de laranjeira fresca ou de conserva, 12 ovos (12 gemas e 3 claras batidas), 100 g de amêndoas torradas e picadas grossas.

Quando pronto, envolve-se neste molho a aletria cozida, e vai de novo ao lume a ferver mais um pouco, em lume brando.

Deixa-se arrefecer e serve-se polvilhada de canela enfeitada com amêndoas inteiras.

Informação: Câmara Municipal de Terras de Bouro

 


 

Se quiser ver as fotografias no tamanho original, clique nelas.

DSC09648 313x235   DSC09649 313x235   DSC09650 313x235
Entrada em Terras de Bouro.  

Alusão aos Marcos Miliários...

 

Rotunda do Posto de turismo.

 

As Terras de Bouro não são mais do que territórios especialmente localizados em montanha, com altitudes que variam entre os 66 metros (cota mais baixa localizada nas margens do rio Homem) e os 1545 metros (cota mais alta, localizada nos picos da Serra do Gerês – Pico da Nevosa, nos Carris), com cerca de 270 Km2 de área.

 

DSC09651 313x235   DSC09652 313x235   DSC09653 313x235

...

 

Ruas arejadas...

 

Terras de Bouro - centro.

 

DSC09656 313x235   DSC09657 313x235   DSC09658 313x235
Casas simples mas com história.  

1865...

 

Capela de s. Brás.

 

          A esta vasta zona do interior do Minho, delimitada a Norte pela Galiza, a Noroeste pelo concelho de Ponte da Barca, a Oeste pelo concelho de Vila Verde, a Sul pelo concelho de Amares, a Sudoeste pelo concelho de Vieira do Minho e a Este pelo concelho de Montalegre, onde habitou a tribo germânica dos Búrios (Buri), que acompanhou os Suevos na invasão da Península Ibérica, entendeu chamar-se Terras dos Búrios ou, mais atualmente, Terras de Bouro.

 

DSC09659 313x235   DSC09660 313x235   DSC09663 313x235
Capela de S. Brás - sacrário.  

Capela de S. Brás - interior.

 

Porta principal da Capela de S. Brás.

 

DSC09668 313x235   DSC09662 313x235   DSC09654 313x235
Torre sineira.  

Capela de S. Brás e edifício da Câmara Municipal.

 

Praça do Município.

 

“Visitar esta região é contactar com o vasto património dos antepassados: a Via Romana, vulgo Geira, com a maior concentração de marcos miliários epigrafados do Noroeste peninsular, reconhecida como Património Nacional e em fase de candidatura a Património Mundial; é reviver as agruras do povo Búrio na defesa da zona raiana e do seu castelo, o castelo de Bouro, honrando o compromisso assumido, aquando da atribuição de privilégios reais e cujas trincheiras testemunham o heroísmo deste povo; é contactar com as tradições ancestrais, (trilhos dos pastores, dos contrabandistas, dos regadios, dos moinhos, etc.) que possibilitaram, durante séculos, a sobrevivência de um povo simples, amante da sua terra e disposto a dar a vida pela pátria. É desfrutar da natureza, em toda a sua plenitude, como escreveu Miguel Torga, onde: "tudo se conjuga para que nada falte à sua grandeza e perfeição" (Diário VII).” 1)

 

DSC09664 313x235   DSC09655 313x235   DSC09666 313x235
Chafariz...  

Chafariz defronte à Cãmara.

 

Enquadramento...

 

 

DSC09667 313x235   DSC09661 313x235   DSC09669 313x235

...

 

...

 

Entrada da Câmara.

 

O terreno é todo ele muito acidentado, pois fica nas faldas da serra do Gerês, abarcando 16 000 hectares do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

 

DSC09670 313x235   DSC09671 313x235   DSC09672 313x235

...

 

...

 

...

 

DSC09673 313x235   DSC09675 313x235   DSC09676 313x235
Feira...  

Cruzeiro de Terras de Bouro.

 

...

 

 

A quase totalidade da população ativa trabalha no setor primário, na agropecuária; o concelho produz milho e centeio, batata, vinho, fruta (castanha, cereja, pera e laranja), cria gado (ovino, caprino, suíno e bovino) e extrai madeiras; há extração de quartzo e aproveitamento industrial das nascentes de água mineromedicinal, as Águas do Fastio, existentes na freguesia da Carvalheira.

 

 

DSC09679 313x235   DSC09678 313x235   DSC09680 313x235
Lateral da Igreja Paroquial.  

Igreja Paroquial - torre sineira.

 

...

 

DSC09681 313x235   DSC09682 313x235   DSC09683 313x235
Porta principal.  

...

 

...

 

 

Grandes atrações turísticas de Terras de Bouro são: o Parque Nacional, as Caldas do Gerês (em Vilar da Veiga), o Santuário de São Bento da Porta Aberta (no Rio Caldo) e a Barragem de Vilarinho das Furnas que tem anexo um museu com as recordações da famosa aldeia comunitária submersa pelas águas.

 

 

DSC09684 313x235   DSC09685 313x235   DSC09677 313x235
Vitrais no interior.  

...

 

Vista do adro da igreja.

 

A Terra de Bouro já vem mencionada nas Inquirições de 1220, estando nela compreendida a área entre os rios Cávado e Homem bem como boa parte da Terra de Regalados atualmente integrada no concelho de Vila Verde.

O concelho de Bouro recebeu foral manuelino a 20 de outubro de 1514.